quinta-feira, maio 11, 2017

Ao meu irmão. Charles Fonseca. Poesia

AO MEU IRMÃO
Charles Fonseca

Ao todo cinco restaram
um à beira do caminho
se foi dormindo maninho
nunca mais dele contaram
da alegria de viver
da sua grande saudade
sua morada amizade
deixado ao longe por que?