domingo, abril 23, 2017

O suicídio. Fiódor Dostoievski. Prosa

"Não me acrediteis, considerai-me como um doente, mas lembrai-vos de minhas palavras; mesmo que eu não diga senão a vigésima parte da verdade, é de fazer fremir! Olhai quantos suicídios ocorrem entre os jovens. E eles se matam sem perguntar a si mesmos, como Hamlet, o que haveria 'em seguida' a questão da imortalidade da alma, da vida futura não existe para eles." - Fiódor Dostoievski em "Irmãos Karamazov"