quarta-feira, agosto 24, 2016

Sargaço. Charles Fonseca. Poesia

SARGAÇO
Charles Fonseca

Como gosto quando ela curte
Como quero que só ela goze
Meus beijinhos que ela adoce
Quero assim o desejo surge

De abraçá-la bem apertado
De cheirá-la sexo sargaço
De afundar-me no seu regaço
Morrer em seus braços vergado

Na alcova gerânios à beira
Tão bela fecho a janela
Já nela abro entrar quem dera
Ela gozando dar-me mais queira.