domingo, julho 16, 2017

Sala de espera. Charles Fonseca. Prosa

SALA DE ESPERA
Charles Fonseca

Na verdade, um corredor do Hospital. Ali a família em espera, dezenas de amigos consternados em volta dela. O pai, um batista de quatro costados, lembrança de como se referia ao seu pai, amarrado simbolicamente ao mastro do navio chamado esperança. Que não havia. O adolescente nas últimas. A mãe me apresentou a desconhecidos, e dizendo meu nome acrescentou: é nosso amigo; pelo menos nesses momentos. Como sou grato à mesma!