domingo, julho 16, 2017

Coqueiro. Charles Fonseca. Poesia

COQUEIRO
Charles Fonseca

Este vetusto coqueiro
Sustém musa que bela
A onda bate e espera
Por ela estrela luzeiro

Nas noites sob o luar
Nas madrugadas arfantes
Beijá-lá quer por instantes
Será a sereia do mar?