quarta-feira, junho 14, 2017

À margem da margem. Charles Fonseca. Poesia

À MARGEM DA MARGEM
Charles Fonseca

Tenho saudade do sonho impossível
Que projetei sobre ti na travessia
De minha viagem à outra margem
Do porto imaginário, mas lá tu não estavas.

Lá, só tu estavas, mas em símbolo.
Lá, só tu representavas.
Só tu e o teu passado.
Lá, só eu e o teu nada.