terça-feira, maio 30, 2017

A cana. Charles Fonseca.Poesia

A CANA
Charles Fonseca

Gozava ela de tudo
Por todos os orifícios
Gemia ais de ofício
Ofídio lambia contudo

Saboreava que mel
Que gosto salgado sargaço
A cana fremia no espaço
Tremia convulsa ao léu.