terça-feira, abril 25, 2017

Só II. Charles Fonseca. Poesia

SÓ ( II )
Charles Fonseca

Só, um foi o pai.
Só, a multidão.
Só, deu-me a mão.
Só, no peito um ai.

Só, não a calado.
Só, nem um abraço.
Só, dei meu regaço.
Só, ela ao meu lado.

Só, não subo aos céus.
Só, não desço ao hades.
Só, o verbo e eu vate.
Só, descerro véus.