sábado, abril 15, 2017

A longa espera. Charles Fonseca. Poesia.

A LONGA ESPERA
Charles Fonseca

Ai, amada não te vás ainda
De minha vida tão curta agora
Que curto os dias saudade atroz
Dos que se foram tão cedo embora
Posto nós dois a ficarmos sós
O nosso fim em si destina

A esperar após jornada
Os que voltarem a tempo a nós
Se a nós vierem quem sabe ainda
A nos buscar já tanto avós
Posto sem sonhos a vida é finda
É só saudade, lembranç,a amarga!

<2012