sábado, março 18, 2017

Pétala. Charles Fonseca. Poesia

PÉTALA
Charles Fonseca

Uma pétala que caia
Da corola que balouça
No ar sem que se ouça
De ti flor, ai, não me esvaia

Um ai em mim eu soluço
No incerto do destino
És flora não te vás indo
Imploro a ti convulso

Não te vás agora flor
Eu tristonho colibri
Sozinho adejo a ti
Se te vais esvaio em dor.