quarta-feira, março 08, 2017

Ao espelho. Charles Fonseca. Poesia

AO ESPELHO
Charles Fonseca

Quando a amada foi embora
A outra me olhou à espreita
Disse-me o que te estreita
O peito então nesta hora?

É a saudade que fica
No meu peito a toda hora
Quero que vá sendo agora
Quero que fique e me agita

Este amar que é a mim mesmo
Que é o desejo de outra
Vez abraçar a garota,
O meu renovo, oh espelho!