domingo, fevereiro 12, 2017

Exame de admissão. Charles Fonseca. Prosa

EXAME DE ADMISSÃO AO GINÁSIO
Charles Fonseca

Prestei o exame. Minha mãe foi minha professora leiga. Passou em primeiro lugar. Eu passei arrastado. Ela me recomendou que quando fosse ao sanitário do ginásio levasse uma borracha e apagasse as pornografias que visse. Começou o meu aprendizado 'nesse recinto afamado onde todo covarde faz força onde todo valente se caga'. Depois resolveu que eu, ela e meu pai curssassemos o primeiro ano ginasial no noturno no meio de adultos trabalhadores no comércio, donas de casa, etc. Aí tive que ser ouvido por uma comissão de investigação . Ao meu lado sentava uma loira. O professor de matemática costumava colocar uma das pernas sobre a carteira da colega. A frequência a incomodou. O marido veio e de revolver em punho ameaçou o mestre. Outros colegas foram ouvidos. Minha mãe esteve ao meu lado, era de menor. O presidente me perguntou se eu tinha observado algo estranho na sala de aula. Disse-lhe que o que eu via era a coxa dele sobre a carteira dela e que ficava aquele volume. Todos pudicos, desataram a rir e enrubescer. Era a época da cueca samba canção que felizmente voltou à moda.