segunda-feira, dezembro 26, 2016

Os princípios, os meios e os fins. Charles Fonseca. Prosa

OS PRINCÍPIOS, OS MEIOS, OS FINS
Charles Fonseca

Não falem mal das pessoas sem conhecer os seus começos, os meios que andaram, os fins a que se propõem. Você que me lê também tem este mesmo roteiro a cumprir. Goste ou não. Na verdade, procure saber o mais possível dos seus avós e pais. A partir daí você poderá julgá-los melhor, no que for bom, no que for pior. E não tem aquela de não querer saber da vida deles, da sua árvore genealógica. Antes de ser, você já foi ideia, depois semente, cresceu, floresceu e talvez já tenha dado frutos. Aí verá como é que é ser pai ou mãe na prática. E tem mais. Quem casa, se ajunta, se amanceba, quem se enrabicha, tem um xodó, etc., tem uma cultura familiar, tios, primos. Como foi e é o relacionamento do homem e da mulher com seus familiares? A mulher se dava ou se dá bem com o pai? Se não, cuidado. Pode ser que ela transferencialmente e de modo inconsciente trate você real através do simbólico que ela carrega e do seu imaginário. E isso atinge até o sogro. E como era o relacionamento do homem com sua mãe? Você que vai casar deve também levar isso em consideração. Antes de julgar o fim, procure saber o meio e o início. Ainda assim, o mundo dá muitas voltas. Você faz parte do todo e a soma das partes é maior do que o mesmo.