sexta-feira, dezembro 23, 2016

Do que gosto. Charles Fonseca. Poesia

Gosto de desafivelar colares. De expor um busto lindo. De cheirar um corpo e indo. Indo e vindo como os mares.