terça-feira, dezembro 13, 2016

Conte. Charles Fonseca. Prosa

CONTE
Charles Fonseca

Estou sem assunto a contar. Assim, de modo que, portanto, chega, conte para o psicólogo, o psiquiatra, o pediatra, o amigo do peito, a amiga de peitos murchos ou empinados, o que lhe vai pela alma mas, cuidado, amigos poucos mas íntimos, de preferência os de longa data, os de outros carnavais. Vais? É bom, desabafa, você levita, fica leve. Lave a alma, passe a limpo, vista nova. E ouça muito, de preferência a sós, a dois, ao sol ou ao luar, tanto faz.