domingo, novembro 13, 2016

Léu. Charles Fonseca. Prosa

LÉU
Charles Fonseca

Quando eu me for, só vai meu ser concreto. A minha imagem, a memória de mim, o que fiz de mau, o de bom, as omissões, os senões, o vir a ser, o poderia ter sido, o amor bem vivido, o afeto compartido, o sem partido, o gozo frustrado, o mais que perfeito, o, o, o, .Ah, ficou a saudade, o bem querer, o quero de novo, será que vou ver, ele me verá, será que no céu, ou ficou ao léu?