terça-feira, novembro 22, 2016

Imiga. Charles Fonseca. Poesia

IMIGA
Charles Fonseca

Na noite de estio
em dia se chove
eu quero um beijo,
de longe já serve,
quem sabe escreves
em louco diário
que eu sou um vário
poeta do sério,
por pouco eu choro
por muito sorrio
que sofro sombrio
sou só desidério,
desejo em vida
o que só na morte
me chega por porte
adeus, vou sem norte,
que a sorte é imiga.