sábado, novembro 26, 2016

Cigarra. Guilherme de Almeida. Poesia

CIGARRA
Guilherme de Almeida

Diamante. Vidraça.
Arisca, áspera asa risca
o ar. E brilha. E passa.