sábado, novembro 19, 2016

Armário. Charles Fonseca. Poesia

ARMÁRIO
Charles Fonseca

Enfim ficaram só ossos
pra aquele armário levados
escondidos pós lavados
escavados n'alma nossos

Amores tão quebrantados
qual cristais antes colossos
hoje ao pó, ja foram nossos,
não mais são, sós, olhos baços.