sexta-feira, outubro 14, 2016

Bacio. Charles Fonseca. Poesia

BACIO
Charles Fonseca

Pasmo petralha pornô
Espõe a sua baixeza
Ante todos com crueza
Não merece nem alô

É fera, é símio no cio,
Do mono é esperado
De fanático, ah coitado,
É reles, sujo, bacio.