sexta-feira, setembro 16, 2016

Fundo II. Charles Fonseca. Poesia

FUNDO (II)
Charles Fonseca

Morenas deixas pegadas
Nas areias minha praia
Rebolas por sob saias
Tuas coxas eu pegá-las

Prender-me por entre elas
Premir-me em ti profundo
Ter o céu ir nele fundo
Lago de amar, que dera!