domingo, agosto 21, 2016

Nefelibata. Charles Fonseca. Poesia

NEFELIBATA
Charles Fonseca

Uma mulher à escuna
Onde a vista descortina
Outra em canto à esquina
Beira piscina só uma

A embalar os meus sonhos
Ao céu claro da Lagoa
Da Conceição eu à proa
Estranhos desejos bisonhos

Este de andar alto mar
Também na terra difícil
Azul voar precipício
Nefelibata a sonhar.