terça-feira, julho 26, 2016

Palhaço. Charles Fonseca. Poesia

PALHAÇO
Charles Fonseca

As dores do ser palhaço
o vermelho suas cores
berrantes ditos pintores
na face o riso chumaço

No bolso serve de lenço
ao lanço tantas piadas
na mente tantas risadas
adeus platéia aceno

com esse do bolso trapo
sorrisos de multidão
choro a minha solidão
riem todos travo bardo.