sexta-feira, julho 29, 2016

Molhado. Charles Fonseca. Poesia

MOLHADO
Charles Fonseca

Que te espiem mil gatos
silentes à luz da lua
que te olhem toda nua
toda tua eu só ato

Sobre sob e ao lado
mil volteios sobre a terra
só a mim em ti me encerra
nós dois nus amor molhado.