sexta-feira, julho 22, 2016

Barravento. Poesia. Charles Fonseca

BARRAVENTO
Charles Fonseca

Atávica paixão fala
falo aroma tesão
cravo canela ilusão
chocolate cocho exala

Na alma um amor louco
um esperma afermenta
uma donzela esquenta
dois os frutos dentro cocho

Capenga no peito saudade
ilusão um andarilho
um amar de pai pra filho
um novo amor por herdade

Sargaço novo alento
no ar no mar a tesão
um novo amar põe tensão
arco murta barravento.