sexta-feira, junho 17, 2016

O tempo e o vento. Charles Fonseca. Poesia

O TEMPO E O VENTO
Charles Fonseca.

O vento geme nas noites do triste
Quando se foi a esperança embora
Ainda resta lembrança de outrora
Lá do passado que ainda resiste.

O vento canta na noite do amante
Que goza o futuro já no presente,
O tempo então voa e já não mais sente
A falta que faz de quem o acalante.

O tempo e o vento nas noites de lua
Balançam a rede, cochicham nos sonhos
Verdades transversas, de amantes tristonhos
Carentes de amores na vida, tão nua.