sábado, junho 11, 2016

Filipenses, 2

Filipenses, 2
1.Se me é possível, pois, alguma consolação em Cristo, algum caridoso estímulo, alguma comunhão no Espírito, alguma ternura e compaixão,

2.completai a minha alegria, permanecendo unidos. Tende um mesmo amor, uma só alma e os mesmos pensamentos.

3.Nada façais por espírito de partido ou vanglória, mas que a humildade vos ensine a considerar os outros superiores a vós mesmos.

4.Cada qual tenha em vista não os seus próprios interesses, e sim os dos outros.

5.Dedicai-vos mutuamente a estima que se deve em Cristo Jesus.

6.Sendo ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus,

7.mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhando-se aos homens.

8.E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz.

9.Por isso Deus o exaltou soberanamente e lhe outorgou o nome que está acima de todos os nomes,

10.para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho no céu, na terra e nos infernos.

11.E toda língua confesse, para a glória de Deus Pai, que Jesus Cristo é Senhor.

12.Assim, meus caríssimos, vós que sempre fostes obedientes, trabalhai na vossa salvação com temor e tremor, não só como quando eu estava entre vós, mas muito mais agora na minha ausência.

13.Porque é Deus quem, segundo o seu beneplácito, realiza em vós o querer e o executar.

14.Fazei todas as coisas sem murmurações nem críticas,

15.a fim de serdes irrepreensíveis e inocentes, filhos de Deus íntegros no meio de uma sociedade depravada e maliciosa, onde brilhais como luzeiros no mundo,

16.a ostentar a palavra da vida. Dessa forma, no dia de Cristo, sentirei alegria em não ter corrido em vão, em não ter trabalhado em vão.

17.Ainda que tenha de derramar o meu sangue sobre o sacrifício em homenagem à vossa fé, eu me alegro e vos felicito.

18.Vós outros, também, alegrai-vos e regozijai-vos comigo.

19.Espero no Senhor Jesus enviar-vos dentro em breve Timóteo, para que me traga notícias vossas e eu me sinta reconfortado.

20.Pois não há ninguém como ele, tão unido comigo em sentimento, que com tão sincera afeição se interesse por vós.

21.Todos os demais buscam os próprios interesses e não os de Jesus Cristo.

22.Quanto a ele, conheceis a sua inabalável fidelidade: tal como um filho ao pai, ele se dedica, comigo, ao serviço do Evangelho.

23.É ele que eu pretendo enviar-vos, logo que eu puder entrever o desfecho da minha causa.

24.Aliás, confio no Senhor que também eu irei visitar-vos em breve.

25.Julguei necessário enviar-vos nosso irmão Epafrodito, meu companheiro de labor e de lutas, que designastes para assistir-me em minhas necessidades.

26.Ele estava com saudades de todos vós e visivelmente preocupado, por terdes tido notícia da sua doença.

27.De fato esteve mal, às portas da morte! Mas Deus teve compaixão dele, e não somente dele, mas também de mim, para que eu não tivesse aflição sobre aflição.

28.Esta é a razão por que procurei enviá-lo antes, para que, vendo-o, novamente vos alegreis e eu também fique menos preocupado.

29.Portanto, acolhei-o no Senhor com toda a alegria e tratai com grande estima homens assim.

30.Porque foi pela causa de Cristo que esteve próximo da morte, e arriscou a própria vida, para prestar-me os serviços que vós não podíeis prestar em pessoa.