sexta-feira, junho 24, 2016

Enfim. Charles Fonseca. Poesia

ENFIM
Charles Fonseca

Enfim me acostumei
Do pouquinho quase nada
Fiz banquete da migalha
Do teu amor que provei.

Enfim tudo será lucro
Quando vieres carente
De viés tão sorridente
Do teu orgulho em luto.

Enfim, um novo começo
E eu chegando ao fim
Das dores rosa em carmim
Do meu amor te ofereço.